Mobiliário de cabeleireiro em plástico? Veja as mais-valias!
326
post-template-default,single,single-post,postid-326,single-format-standard,bridge-core-2.6.4,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-23.1,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.5.0,vc_responsive

Mobiliário de cabeleireiro em plástico: uma ideia espetacular

Os plásticos têm estado muito em voga nos últimos anos devido ao tema da sustentabilidade. Além disso, o material é normalmente associado a produtos de qualidade inferior. Mas a realidade não é bem assim, principalmente quando o assunto é mobiliário de cabeleireiro

Os chamados polímeros — plásticos altamente tecnológicos e modernos — podem ser uma opção tão sustentável como durável e resistente. Basta, para isto, um uso correto e responsável destes materiais. 

O primeiro mito que precisamos de desmentir é que todos os plásticos são iguais. “Plástico” é uma classificação genérica que designa uma série de materiais com composições e caraterísticas diferentes, que podem ser usados para diversos fins.  

Neste artigo, vamos falar sobre os principais mitos sobre o mobiliário de cabeleireiro feito em plástico e mostrar porque este material pode ser a melhor alternativa para o seu salão. Boa leitura! 

4 mitos sobre os plásticos no mobiliário de cabeleireiro

1. Menor resistência

É muito comum as pessoas associarem a leveza do plástico a uma suposta falta de resistência. No entanto, esta relação não é verdadeira. Atualmente, existem diferentes tipos de polímeros, cada um com caraterísticas diferentes que permitem usos variados. 

Alguns plásticos são feitos para suportar altíssimas temperaturas e são usados em setores que expõem o material a grandes desafios, como a indústria automobilística. Nos veículos mais modernos, peças como o coletor de admissão, que tem de suportar uma alta pressão do combustível e altas temperaturas, são feitas em plástico. 

No setor da beleza, os pentes carbono podem ser submetidos a temperaturas de até 230ºC sem perderem as suas principais caraterísticas. Os produtos de mobiliário para cabeleireiro passam por testes de resistência a altas temperaturas e à pressão mecânica. Uma boa rampa de lavagem, por exemplo, pode suportar até 150 kg sem demonstrar sinais de stress do material. 

2. Inferioridade estética

É também comum associar os plásticos a materiais sem elegância, mas isto não precisa de ser assim. Os polímeros permitem uma grande variedade de acabamentos, da aparência vinílica àquela sem brilho. 

Além disso, é possível acrescentar pigmentos ao polímero na sua forma líquida. Isto permite criar mobiliário de cabeleireiro nas cores que se desejar, tornando mais fácil conjugar os seus equipamentos com o restante da decoração do seu salão.

Por fim, o polímero é uma liga líquida que pode ser moldada em qualquer formato desejado. Esta caraterística permite a criação de produtos com design mais moderno, elegante e até mesmo com aparência superior.  

3. Menor durabilidade

É comum as pessoas acreditarem que os produtos feitos em plástico precisam de ser substituídos com mais frequência. Este mito está muito relacionado à qualidade dos materiais usados. Alguns tipos de plásticos são feitos para terem uma vida útil menor. É o caso, por exemplo, dos materiais usados nos copos descartáveis, nas palhinhas e noutros tipos de descartáveis. 

Mas alguns tipos de polímeros são pensados para ter uma longa durabilidade. São estes materiais que são usados no fabrico do mobiliário de cabeleireiro. Aqueles de melhor qualidade, quando bem estimados, podem ter uma vida útil superior aos 15 anos.  

4. Menos sustentável

Com o tema da sustentabilidade em voga, os plásticos tiveram a sua imagem bastante prejudicada. O maior problema está nas embalagens de uso único, ou seja, aquelas que usamos e deitamos imediatamente fora, como os pacotes de bolachas. Produtos que têm uma vida útil mais longa, como é o caso do mobiliário de cabeleireiro, não representam uma ameaça para o meio ambiente. 

Nestes casos, a grande preocupação deve de ser com descarte dos dejetos da produção industrial. As empresas socialmente responsáveis trabalham com polímeros 100% recicláveis e adotam um processo limpo, que não gera resíduos. Desta forma, o produto final tem a menor pegada ecológica possível. 

Outras mais-valias do mobiliário de cabeleireiro em plástico

Além das mais-valias já referidas, o plástico apresenta ainda outros benefícios para o mobiliário de cabeleireiro. A seguir, vamos ver os principais. 

Boa relação qualidade-preço

O plástico é tido como um material barato, e esta é uma verdade. Se comparado a outros materiais, como metais, cerâmica, vidro etc., o plástico é efetivamente bastante mais barato. Mas isto não é um defeito. Ao contrário, a relação qualidade-preço dos plásticos é uma das suas grandes qualidades. 

Como referimos anteriormente, o facto de ser um material barato não significa que seja pobre em qualidade. Tudo depende, uma vez mais, do tipo de plástico de que estamos a falar. Alguns são pensados para poucos usos, ao passo que outros são feitos para ter uma vida útil longa. 

Trata-se, portanto, de uma dupla poupança. Além de o material ser mais barato, ainda tem uma vida útil superior à de outros produtos, aumentando o tempo de substituição. 

Alternativa superior à fibra de vidro

Um dos principais concorrentes aos plásticos nos mobiliários de cabeleireiros é a fibra de vidro. Por ser mais robusta e mais pesada, muitas pessoas atribuem à fibra uma maior qualidade, mas este é mais um engano. 

A fibra de vidro é um material feito num processo artesanal. Isto significa que não há hipótese de garantir-lhe a qualidade — tudo será feito consoante o rigor do profissional que fabricar o produto. Além disso, o processo de produção da fibra tem alguns problemas, nomeadamente, a exposição dos trabalhadores a solventes e componentes tóxicos que podem levar a problemas graves de saúde.

Do ponto de vista do consumidor, a durabilidade da fibra não é das melhores. O material é mais sensível aos produtos químicos mais agressivos, como os removedores de verniz. Portanto, podem ficar com nódoas ou até desgastar a tinta do revestimento. Além disso, principalmente no caso das rampas de lavagem, com o contacto com a água ao longo do tempo, a fibra pode sofrer fissuras e começar a deitar água, obrigando à sua substituição.    

Um último aspeto que devemos ressaltar é o descarte. A fibra de vidro não é reciclável, e os cientistas ainda não concluíram se os solventes e as colas usadas no fabrico da fibra podem, depois, poluir o solo. Isto agrava-se pelo facto de este material ter uma durabilidade consideravelmente menor do que aquela dos polímeros utilizados nos equipamentos para salão. 

Portanto, o plástico acaba por ser não apenas o material de qualidade mais alta, como também o mais durável, o mais barato e o mais sustentável.

Leve para carregar e ergonômico

Itens de mobiliário de cabeleireiro como as rampas de lavagem e as cadeiras são fabricados em polipropileno. Trata-se de um polímero moderno que é exposto a altíssimas temperaturas e, quando está na sua forma líquida, é moldado no formato desejado. Por isso, este material pode tomar a forma que o designer de produto desejar. 

No vídeo abaixo, pode ver como são fabricadas cadeiras em polímero injetado: 

Consequentemente, os móveis feitos neste tipo de plástico são mais ergonómicos, uma vez que o material aceita todas as formas para adaptar-se ao corpo humano. Como o produto é leve, o profissional não corre o risco de lesionar-se ao tentar carregar ou mudar o seu móvel de lugar. 

Além disso, o polipropileno é o material com melhor qualidade de torção, ou flexibilidade. Isto significa que é mais resistente e não se parte tão facilmente. 

Resistência à corrosão e às nódoas 

Por fim, não nos podemos esquecer da aparência do produto. Uma importante mais-valia do polipropileno é a sua resistência à corrosão e às nódoas. Este é um ponto particularmente importante para o mobiliário de cabeleireiro, uma vez que a maior parte dos salões trabalha com tinturas. Se o móvel é feito em polipropileno, basta uma limpeza normal com água e sabão para retirar todos os resíduos. 

Na Dompel, marca brasileira de mobiliário de cabeleireiro com mais de 40 anos de experiência no mercado, trabalhamos apenas com materiais de qualidade superior, como o polipropileno injetado. Oferecemos aos nossos clientes produtos ergonómicos, duráveis, resistentes e com uma ótima relação qualidade-preço. 

Todos os nossos produtos são projetados internamente, pelo nosso designer de produtos. Por isso, a marca tornou-se numa referência em produtos para salão na América Latina e na Europa. A Dompel opera em Portugal desde 2018 e tem stock no país. Isto permite envios rápidos e seguros dos nossos produtos. Visite a nossa loja online e escolha os melhores artigos para o seu salão!

2 Comentários
  • Pingback:Produtos de cabeleireiro profissional | Venda qualidade
    Postado em 16:26h, 12 Fevereiro Responder

    […] As rampas de lavagem são outro item indispensável num salão, tanto para preparar para os cortes como para executar outros tratamentos, como tinturas, madeixas e hidratações. Por entrarem em contacto direto com produtos químicos, estes móveis devem ser feitos num material que não cria nódoas, como o polímero injetado.  […]

  • Pingback:Cabeleireiro na pandemia: como se manter vivo no mercado?
    Postado em 20:03h, 09 Março Responder

    […] lavagem da Dompel, por exemplo, pode ser completamente lavada, uma vez que a estrutura é feita em polímero injetado  e o estofamento é […]

Publicar Um Comentário

Psst, espere!

Estás a gostar do conteúdo? Aproveite para subscrever a nossa newsletter e saber primeiro sempre que tivermos novidades ou ofertas!